top of page

Em todos estes anos dedicados a arte e a cultura, pudemos sentir a força do movimento que embala vida e arte. Conquistas, alegrias, angustias, pandemia! Sobrevivemos de portas fechadas, em um ambiente extra físico.

Passeamos nossos desejos e incertezas na virtualidade. E encontramos também lá, sorrisos e braços estendidos. Mais uma vez resistimos para nos reinventarmos, pulsando...E a partir do dia 31 de agosto de 2021, o espaço Teatro da Rua Eliza pulsará com novo nome: “Teatro Marcelo Denny”.

 

Nossa singela homenagem ao artista, amigo e parceiro de criação, falecido em 31 de agosto de 2020. Denny deixou uma importante pesquisa nas áreas de performance e teatro contemporâneo, além da extensa obra composta de espetáculos, performances, vídeoperformances, figurinos, cenários e ambiências. Um artista brilhante, um corpo livre, inquieto, e sobretudo um amigo que vamos carregar para sempre conosco.

 

Ficam nossas saudades, nossa homenagem e nosso aprendizado: “Viver é urgente.”

teatro_Marcelo_denny.jpeg

teatro Marcelo denny

Marcelo_Denny.jpg

cia do trailler

teatro em movimento

Criada em 2002 em São José dos Campos com objetivo de pesquisar o teatro e seu cruzamento com a performance.

A pesquisa deu origem a espetáculos e performances como: Yulunga - Poema para um deus morto (2006-2007) e Santos da terra / O visível e invisível (2008).

Em 2005 a Cia passou a integrar o Centro de Artes Cênicas Walmor Chagas, espaço que sediou seus processos e experimentos até o ano de 2010.

Em 2008 produziu, em parceria com SESC SJC, FESTIVALE e REPESP (Rede Estadual de performance), o 2º Fórum Estadual de Performance - Cartografia da Performance.

Em 2011 iniciou a pesquisa para montagem do espetáculo MEDEALIQUIDA mergulhando no universo do teatrólogo Heiner Muller e participando como convidado no projeto ‘Teatro para Ouvir’ do SESC/SJC, com a leitura dos textos Margem Abandonada, MedeaMaterial e Paisagens com Argonautas. Em 2012 a Cia do Trailler –Teatro em Movimento e outros três grupos da região inauguraram sua própria sede, o Teatro da Rua Eliza.

Espaço que além de abrigar ensaios e montagens, mantém uma programação semanal com apresentações, cursos e palestras.

Em 2013 estreou o espetáculo MEDEALÍQUIDA a partir da obra de Heiner Muller .

Em 2014 foi contemplado no EDITAL PROAC ARTES INTEGRADAS realizando o Projeto DELIRIUM ÁUDIO-TOUR- Um Rito Poético Efêmero Para Transcendências Urgentes em parceria com Marcelo Denny integrante do grupo Desvio Coletivo.

Em 2016 a Cia foi novamente contemplada no PROAC EDITAIS MONTAGENS INÉDITAS e criou o espetáculo “A Ponte – Memórias de um grito suspenso” com direção de Edgar Castro. Em 2018 foi o grupo residente do 33ºFESTIVALE, onde promoveu oficinas e apresentações do trabalho Delirium Áudio Tour.

Ainda em 2018 a cia foi contemplado pelo Fundo Municipal de Cultura de São José dos Campos, na categoria Montagem, com o projeto “A Trajetória do Desterro”, que marca a primeira incursão do grupo na estética do teatro documentário resultando no espetáculo “Experimento Desterro.Doc”, em 2020 a Cia foi contemplada com edital de Produção do Fundo Municipal de Cultura de São José dos Campos, prêmio que resultou no espetáculo “E se...?”, a primeira criação da Cia totalmente pensada para o ambiente virtual que estreiou em 2021.

Caren Ruaro

André Ravasco

Luan Fonseca

Caren Ruaro

Andrei Gonçalves

IMG_AC88AA8C2661-1.jpeg
“Nenhuma fórmula para a contemporânea expressão do mundo. Ver com olhos livres”
 
Oswald andrade
bottom of page